ECOENDOSCOPIA DIGESTIVA DIAGNÓSTICA E TERAPÊUTICA

O que é?

Ecoendoscopia ou ultrassom endoscópico é o método que associa endoscopia e ultrassonografia no mesmo exame.

Como funciona?

Um transdutor de ultrassom foi acoplado na extremidade de um aparelho semelhante ao da endoscopia, o ecoendoscópico.  Assim, ao realizarmos o exame, o ecoendoscópico é inserido no tubo digestivo do paciente através da boca (no caso da ecoendoscopia alta) ou através do ânus (no caso da ecoendoscopia baixa). Chegando no local do órgão a ser examinado, aciona-se um botão e deixa-se de ter a imagem endoscópica passando a ter a imagem ecoendoscópica, semelhante a do ultrasson. Assim, veremos tudo o que está além da parede mucosa do tubo digestivo, podendo avaliar a extensão de lesões nas camadas da parede do órgão a ser examinado (esôfago, estômago, duodeno, reto). Além disso, tem a função de avaliar os órgãos que estão na proximidade do tubo digestivo examinado, como o pâncreas, vesícula biliar, fígado, adrenal, baço, órgãos do mediastino e todos os grandes vasos dessa região.

Qual é a diferença entre ecoendoscopia e endoscopia?

A endoscopia visualiza tudo o que está no interior do esôfago, estômago e duodeno, e somente a camada mucosa da parede. Já a ecoendoscopia, por tratar-se de uma ultrassonografia, visualiza não só a mucosa como as camadas da parede abaixo dela, que não podem ser visualizadas pela endoscopia: a camada submucosa, muscular própria e serosa. E além da parede, permite ao médico examinar o que está fora da parede, como órgãos (pâncreas, mediastino, baço, rins, suprarenais) e vasos.

Existe preparo para se realizar a ecoendoscopia?

Sim. Se for ecoendoscopia alta, ou seja, para avaliar esôfago, estômago, duodeno ou órgãos adjacentes, será necessário jejum de 8 horas. Se for ecoendoscopia baixa, ou seja, para avaliar canal anal, reto e transição retossigmóide, além do jejum será necessário tomar laxante para preparo intestinal.

O paciente é sedado?

O paciente pode ser sedado, como na endoscopia, ou anestesiado, como em uma cirurgia. Vai depender do que será feito, do tempo necessário para se fazer, das condições clínicas do paciente e de patologias que esse paciente possui. Com todas essas variações possíveis, o exame pode durar entre 20 minutos até mesmo cerca de 1 hora, em média. Por isso é que se define entre sedação e anestesia no momento do exame, conversando sempre com o paciente.

Meu médico solicitou uma ecoendoscopia com punção. O que é a punção?

A punção, também conhecida como punção eco-guiada, é como uma biópsia. É a retirada de fragmentos da lesão examinada que serão enviados para análise do patologista, auxiliando com isso o diagnóstico. Como é feita com uma agulha ultrafina, denomina-se punção. Essa agulha é passada pelo interior do aparelho de ecoendoscopia até a lesão a ser puncionada. Se a lesão estiver na parede, a punção ultrapassa a camada mucosa e adentra nas outras camadas mais profundas (submucosa, muscular ou serosa). Caso a punção seja de uma lesão fora da parede (no pâncreas, por exemplo), a agulha ultrafina atravessará a parede do tubo digestivo, adentrando no interior da lesão no órgão. 

Quais são os riscos de se realizar uma ecoendoscopia?

Os riscos são os mesmos de se realizar uma endoscopia ou colonoscopia. Em exames terapêuticos, quando se realiza a punção eco-guiada para biópsia de tumores ou cistos, o risco de sangramento ou de perfuração varia de cerca de 0,5% a 5%. Existe risco de infecção quando se realiza a biópsia eco-guiada de cisto pancreático, que é combatido com administração de antibióticos antes e após o exame.

Fonte: gastrodiagnostico

Faça o agendamento online. É fácil, rápido e seguro.